11 de out de 2016

SANCTA – Sancta (EP)


2016
Independente
Nacional

Nota: 8,0/10,0


Tracklist:

1. Estrada Sem Fim
3. Practice the Truth
3. Burning Shadows
4. Lost Place


Banda:


Márcio Prates - Vocais, guitarras
Silvana Wedel - Guitarras
Junior Bazilio - Baixo
Bruno Wedel - Bateria


Contatos:


Texto: Marcos “Big Daddy” Garcia


O que o Brasil anda produzindo de bandas que transitam entre o Hard Rock clássico, o Heavy Metal tradicional e o Rock’n’Roll de raiz não está no gibi, ainda mais quando falamos de bandas de qualidade, aquelas que conseguem se fazer vistas e ouvidas. E é interessante como o Paraná tem apresentado bandas que transitam nesse caminho. E como são boas bandas de lá, e um nome muito interessante do estado é do quarteto SANCTA, que acaba de lançar seu primeiro EP, que leva o nome do grupo.

Sujo, despojado, sem pretensões de ser inovador ou gerar um novo gênero de Metal/Rock, a banda foca em uma mistura de Hard Rock, Metal tradicional e Rock’n’Roll muito boa e pessoal. E é justamente este elemento que torna a audição de “Sancta” tão boa. A espontaneidade impera, e isso, meus caros leitores, é algo tão bom de se ouvir.

Sol Peres foi quem produziu, mixou e acompanhou as gravações do EP. Óbvio que uma banda como o SANCTA não poderia ter uma gravação muito limpa. Aqui, a crueza do Rock’n’Roll se faz presente, mas sem obliterar as melodias preciosas. Poderia ser um pouquinho mais caprichada em termos de volume na guitarra base, mas nada que seja tão grave assim. 

A arte gráfica está ótima, com uma capa simples, encarte com letras e fotos, informações, e tudo nos conformes. Eles souberam usar mesmo este aspecto em favor deles.

Composições equilibrando peso, espontaneidade e melodia, arranjos simples (mas bem pensados), bom trabalho dos vocais, riffs ganchudos e solos melodiosos, baixo e bateria firmes na base rítmica, as músicas do SANCTA tendem a grudar nos ouvintes como um chiclete delicioso e pesado.

“Estrada Sem Fim” – Aqui, temos um típico Hard’n’Roll melódico e despojado, com aquela sujeira essencial, com uma apresentação mais simples e com boa dose de acessibilidade musical. Mas basta reparar como o trabalho de baixo e bateria é ótimo, segurando o ritmo e dando peso à canção.

“Practice The Truth” – Nesta, a banda pega um pouco mais pesado, deixando o lado mais Hard’n’Heavy claro aos ouvidos. O andamento é mais cadenciado, a música cheia de energia, e com ótimo trabalho das guitarras nos riffs (e solos bem feitos, sem exagerar muito na técnica).

“Burning Shadows” – O andamento mais uma vez não é rápido, mas a banda transita entre o Metal tradicional e o Hard Rock, já que o peso é evidente, mas aqueles arranjos mais grudentos estão presentes também. E são nessas partes mais pesadas que os vocais mostram seu valor.

“Lost Place” – Fechando o EP, a banda lança mão de uma canção bem acessível, com um jeitão mais Rock’n’Roll irresistível. Um refrão muito bom está presente, com alguns backing vocals ótimos.

O quarteto leva jeito de fazer shows cheios de energia, e que este EP, que marca sua estréia em discos (apesar de já terem um bom tempo de estrada), seja apenas o primeiro de muitos trabalhos.

Boa banda, realmente!

Comentário(s):