15 de set de 2016

DOLORES DOLORES - ID Superpower (Álbum)



2014
Independente
Nacional

Nota: 8,5/10,0


Músicas:

1. Infant Sorrow Prelude
2. Confused
3. Behind the Hills
4. Crystal Ball
5. Perfect Man
6. Nothing to Lose
7. Waiting for a Train
8. Mama Technology
9. I Was Wrong
10. In Spite of Me
11. Time to Confess
12. Dramatic Lover
13. Infant Sorrow


Banda:

Willie Muries - Vocais
Humberto Maldonado - Guitarras
Rodrigo Cordeiro - Baixo
Alessandro Bagni - Bateria


Contatos:

Instagram
Roadie Metal (Assessoria de Imprensa)

Texto: Marcos "Big Daddy" Garcia


E mais uma vez, um disco nos chega atrasado para uma resenha. Mas não tem problema, já que boa música não é erodida pelo tempo, apenas se torna cada vez mais prazerosa de ser ouvida. E podem ter certeza: o DOLORES DOLORES, de Belo Horizonte (MG) é daquelas bandas que ouvimos hoje, amanhã, e daqui a dez ou 20 anos, e a sensação de prazer que sua música dá é perene. Que o diga o segundo CD da banda, "ID Superpower".

Não se pode fixar o trabalho do quarteto em um único estilo dentro do Rock, já que temos a presença de influências e elementos variados dentro de sua música: Notadamente, seria um Hard Rock clássico com muita influência de Rock Pop, alguns toques de Blues aqui, uma influência de Rock dos anos 70 ali, e assim vai. E a banda capricha, não sendo cansativa aos ouvidos em momentos algum, trazendo uma experiência bem diferente em sua música espontânea e cheia de energia.

Gravado no Estúdio Solo, tendo a produção do guitarrista Humberto Maldonado, e com mixagem e masterização feitas por Rodrigo Aires Grillo, temos como resultado uma qualidade musical orgânica, densa e bem feita, com cada arranjo audível aos nossos ouvidos, e os instrumentos estão com timbres bem próximos do que a banda faz ao vivo, sem se preocupar demais com uma superprodução. 

Espontâneo, livre de rótulos musicais ou de pretensões, a música do DOLORES DOLORES funciona muito bem, nos envolvendo com suas melodias bem feitas, com os arranjos encaixando perfeitamente com cada passagem rítmica. E assim, o grupo nos seduz.

Melhores momentos: a pesada e insinuante "Confused" e suas guitarras de primeira (sem falar no ótimo trabalho de baixo e bateria), as melodiosas e modernas "Behind the Hills" (é incrível como o lado mais pesado se encontra com a acessibilidade musical para criar uma canção tão envolvente, principalmente porque os vocais estão bem e existem passagens ótimas de teclado) e "Crystal Ball" (que tem o maior enfoque na guitarra, embora a acessibilidade musical esteja presente), a força moderna e intensa da pesada "Perfect Man" (novamente, arranjos mais modernos surgem em meio às melodias do grupo, mas alguns backing vocals e corais parecem herdados do Rock Progressivo anos 70), a grooveada e azeda "Mama Technology" (aquele groove do Hard/Blues dos anos 70, mas é pesada, embora existam toques mais limpos e belos, focando bastante no trabalho das guitarras), e a belíssima balada "In Spite of Me" (recheada por toques mais Pop em alguns momentos, mas é permeada por arranjos lindos de guitarra, vocais macios de primeira, e um trabalho ótimo de baixo e bateria). Mas o disco como um todo é muito bom.

Ouçam "ID Superpower", e deixem que o DOLORES DOLORES os guiem pelos divertidos caminhos do Rock'n'Roll descompromissado.


Comentário(s):