26 de mai de 2016

ASSASSIN - COMBAT CATHEDRAL (Álbum)


2016
Importado

Nota: 9,0/10,0

Texto: Marcos "Big Daddy" Garcia


Antes de tudo, é preciso estabelecer que SODOM, KREATOR e DESTRUCTION são os grandes do Thrash Metal alemão. Estes nomes lançaram clássicos que definiram o que conhecemos por "German Thrash Metal School". Depois disso, podemos ter a clara idéia que outras bandas vieram e poderiam ter contribuído muito, como IRON ANGEL (talvez o mais promissor de todos, mas que devido às famosas divergências, acabou lançando apenas dois discos), o DEATHROW e outros. Mas talvez o que mais próximo de se tornar membro do seleto grupo de cima foi o ASSASSIN, quinteto de Düsseldorf, que lançou "The Upcoming Terror", um disco que realmente abalou as bases do gênero e se tornou um clássico. Mas infelizmente, após o segundo disco, "Interstellar Experience" (que já não era tão bom como seu antecessor), a banda acaba e retorna em 2002 e está na ativa até hoje.

E apesar de "Combat Cathedral" também não ser tão bom como "The Upcoming Terror", o disco mostra o quinteto disposto a fazer um trabalho de primeira linha.

A mudança mais significativa foi a entrada do vocalista Ingo, que faz parte de uma escola mais moderna em termos de Thrash Metal, logo, possui uma voz usando timbres bem mais agressivos e urrados. Mas fora isso, o trabalho da banda parece estar mais agressivo e bem feito, e talvez seja o melhor disco da banda em muitos anos, mostrando um grupo forte, usando e abusando de uma dupla de guitarristas de primeira linha, além de uma cozinha rítmica que sabe ser trabalhada e pesada, dando a diversidade rítmica necessária ao ASSASSIN.

Ou seja, o grupo está renovado, mantendo suas raízes, mas trazendo uma agressividade bem mais impactante que antes. E bem mais consensual, já que vez por outra, o quinteto vinha com uma faixa que pouco ou nada tinha a ver com seu trabalho (como "Junk Food", de "Interstellar Experience").

Assassin
A produção do disco é bem limpa, verdade seja dita. Mas isso só deixou o som do quinteto ainda mais brutal, opressivo e furioso que antes. Sim, eles transcenderam os limites, e conseguiram criar algo realmente agressivo, mas com limpeza muito boa. É moderno, mas o grupo não perdeu sua potência musical. Parece que a banda enfim conseguiu pôr sua fúria na música. E isso é bom.

Na arte, o nome de Marcelo Vasco (que já fez artes de discos do BORKNAGAR, SLAYER, entre outros) é garantia de um trabalho de primeira. E ela ficou ótima, dando aquela aclimatação brutal que a música da banda transmite.

Desde "The Upcoming Terror", o ASSASSIN não trazia um conjunto de músicas tão bom. Sim, essas 12 canções mostram o quanto o grupo ainda pode render, e apesar de sentir que eles ainda não puseram tudo o que podem em termos de qualidade para fora, "Combat Cathedral" é uma aula de como criar algo brutal e agressivo como se pede nos dias de hoje, mas sem perder a técnica e noção melódica que sempre foram as características que diferenciaram o grupo de todos os outros de sua geração.

O testemunho em favor da banda é dado em canções como a veloz e explosiva "Back from the Dead" (onde os vocais agressivos de Ingo se mostram excelentes em meio ao ataque de riffs insanos), a curta e grossa "Frozen Before the Impact" (que já tem uma forte influência de Rock'n'Roll em muitos momentos, mostrando a força técnica da cozinha rítmica), a raivosa "Servants of War" (rápida, cheia de variações rítmica, e com o Mike e Scholli detonando nos solos e riffs), o massacre de bumbos e baixo que temos em "Slave of Time" e na veloz "What Doesn't Kill Me Makes Me Stronger" (esta com excelentes backing vocals), o chamado ao moshpit insano feito em "Ambush" 9que é introduzida por batidas bem ao estilo tribal, possivelmente uma herança dos tempos que o guitarrista Mike morou em Salvador), e o Thrash Metal rude e grosseiro de "Word" (mais uma aula de vocais agressivos, feita sob uma base instrumental perfeita).

Isso é Thrash Metal com sangue nos olhos e preparado para o futuro!


Isso é o ASSASSIN!


GO, FIGHT, KILL, ASSASSIN!



Músicas:

1. Back from the Dead
2. Frozen Before Impact
3. Undying Mortality
4. Servant of Fear
5. Slave of Time
6. Whoremonger
7. Cross the Line
8. What Doesn't Kill Me Makes Me Stronger
9. Ambush
10. Word
11. Sanity from the Insane
12. Red Alert


Banda:

Ingo Bajonczak - Vocais
Michael Hoffmann - Guitarras
Scholli - Guitarras
Joachim Kremer - Baixo
Björn - Bateria


Contatos:

Youtube
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário.
Liberaremos assim que for analisado.

OM SHANTI!

Comentário(s):