10 de fev de 2016

SWORDS AT HYMNS - Autumnal Introspections (álbum)


2016
Nacional

Nota: 8,5/10,0

Texto: Marcos "Big Daddy" Garcia

Destaques: "Fall", "At the Winter's Gate", "Beyond This Tombstone", "Where I Buried My Heart"

Quando se fala em vertentes que referenciam o paganismo em geral, o brasileiro se torna muito reticente. Isso porque, no Brasil, somos imersos em toda uma atmosfera de intolerância às vertentes que, de acordo com muitos, nada teriam com nossa cultura. É um equívoco pensar dessa forma, uma vez que somos um amálgama cultural, trazendo raízes, inclusive bem evidentes, dos europeus. Assim, morre toda argumentação fútil sobre o assunto, e podemos nos ater aos bons trabalhos feitos aqui de bandas que trilham este caminho. E assim, com a mente aberta e o coração leve, podemos apreciar o primeiro álbum da banda gaúcha SWORDS AT HYMNS, "Autumnal Introspections", como ele bem merece.

Sendo direto, temos uma banda de Pagan/Epic Black Metal que segue a mesma linha do FALKENBACH, BATHORY (da fase "Blood, Fire Death"), EMPEROR do início e ENSLAVED (embora sem as influências do Rock Progressivo deste último). Ou seja, é mais bruto e agressivo, mas com o toque mais elaborado e introspectivo devido ao lado épico de sua música. E em todos os aspectos, a música do quarteto é bem feita, nada está fora de seu lugar ou é supérfluo. 

Swords at Hymns
Produzido, mixado, masterizado e com a engenharia de som feita por Dave Deville e parceria com a banda, temos uma qualidade sonora mais crua e com aquele toque tosco essencial às bandas de Black Metal. Mas longe de buscar a sujeira excessiva que só desfiguraria o disco, além de uma timbragem muito boa (que poderia ser um pouc melhor nas guitarras). 

O lado gráfico é bem feito, explorando tonalidades de marrom e preto, um belíssimo trabalho de Marcelo Vasco (da PR2 Designs).

Podemos dizer que o quarteto soube criar em "Autumnal Introspections" um trabalho de primeira linha no gênero. As músicas possuem duração média de 5 minutos, mas nem percebemos isso devido à diversidade de arranjos que existe o disco. Existem alguns arranjos um pouco mais complexos, mas nada que venha a deixar os fãs de cabelos em pé. E tudo isso resultou em uma homogeneidade enorme em termos musicais. E ainda temos a participação especial de Triumphsword (vocalista do PATRIA) em "Beyond This Tombstone".

Melhores momentos:

Fall - Uma música com o forte sentimento de melancolia, com andamento nem rápido e nem lento, em com uma bela diversidade de arranjos. Ponto forte para os vocais, que usam de vários timbres, fora alguns toques de teclados que encaixaram muito bem. 

Last Shine in My Eyes - Aqui, apesar de melodias introspectivas, temos alguns toques de Metal tradicional e um pouco mais de velocidade, embora a banda varie bastante de andamentos. E como as guitarras e os teclados estão bem. 

At the Winter's Gate - Grandiosa e introspectiva, mas bem azeda, devido aos timbres de guitarra e à levada mais lenta. Além disso, baixo e bateria estão bem aqui, guiando os andamentos. Mas existe uma beleza agressiva presente nessa introspecção presente.

Lord of the Ancient Times - Segue o mesmo estilo de "At the Winter's Gates", mas com uma dinâmica vocal melhor, novamente usando o contraste dos tons rasgados com os guturais.

Beyond This Tombstone - Mesmo adornada com melodias introspectivas, alémd e teclados mais soturnos, nesta canção existe maior agressividade, ao mesmo tempo em que os vocais usam tons agressivos um pouco diferentes do convencional. É a faixa que o grupo usou para fazer um lyric video de divulgação.

Return to Ashes - Apresentando linhas melódicas que remetem ao Metal tradicional (especialmente devido ao ótimo trabalho de guitarras), mais uma vez temos uma canção com velocidade moderada e 

Where I Buried My Heart - Outra em que a agressividade fica mais evidente, mas mesmo assim, entremeada por melodias mais densas e introspectivas. Ponto para o trabalho da cozinha rítmica mais uma vez, devido à boa condução dos tempos. Esta possui vídeo oficial no Youtube.

Podemos dizer que o "Autumnal Introspections" é um trabalho muito bom, digno de aplausos, pois se sente que ele foi feito com garra e coragem, e feito para os fãs.

Recomendo de olhos fechados.







Músicas:

1. Fall 
2. Last Shine in My Eyes 
3. At the Winter's Gate 
4. Lord of the Ancient Times 
5. Beyond This Tombstone 
6. Return to Ashes 
7. Where I Buried My Heart


Banda:

Maicon Ristow - Vocals, violões, guitarras, bateria programada, teclados
André Lazzarotto - Guitarras
Leonardo Goulart - Baixo, vocais 
Mateus Perotti - Bateria


Contatos:

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário.
Liberaremos assim que for analisado.

OM SHANTI!

Comentário(s):