3 de fev de 2016

ROTTING CHRIST - Rituals (álbum)


2016
Importado

Nota 10,0/10,0

Texto: Marcos "Big Daddy" Garcia

Destaques: "In Nomine Dei Nostri", Ἐλθὲ κύριε (Elthe Kyrie)", "Les Litanies de Satan (Les Fleurs du Mal)", "For a Voice Like Thunder", "The Four Horsemen"


E eis que os senhores absolutos do Black Metal grego e pais da vertente melódica do estilo retornam à carga.

Mesmo cansados de excursões seguidas desde o lançamento de "Κατά τον δαίμονα εαυτού" (de 2013), o ROTTING CHRIST arrumou um tempo para gravar mais um disco, seu décimo segundo álbum, "Rituals".

Mas o que "Rituals" pode oferecer aos ouvintes?

Bem, a verdade é simples: no fundo, "Rituals" se assemelha em vários pontos ao estilo que que ouvimos em "Κατά τον δαίμονα εαυτού", só que mais bem acabado, com uma musicalidade um pouco mais rebuscada, usando de melodias sinistras para criar uma atmosfera densa e mística. Mas ao mesmo tempo, o grupo não abre mão do lado mais agressivo de sua música. E este equilíbrio é algo que o quarteto sempre soube fazer muito bem, mas que agora, ficou ainda melhor. Os arranjos de guitarras estão melhores, os solos mais caprichados, a base baixo-bateria continua maciça, com força e peso, os teclados se encaixam muito bem, e todos os corais estão muito bem elaborados. Ou seja, temos um disco mais sinistro que seu antecessor, mais bem acabado e bem feito.

Assim como seus antecessores, o próprio Sakis produziu o disco, tendo como parceiro na mixagem e masterização o sueco Jens Brogen. As gravações foram na Grécia, nos Devasounds Studios, em Atenas, enquanto a mixagem e masterização foram feitos nos Fascination Street Studios, em Örebro na Suécia. Óbvio que o resultado é muito satisfatório, pois a sonoridade ganhou mais clareza que antes, mesmo ainda soando sinistra e ardente como antes. Ou seja: melhorou muito em relação aos últimos trabalhos.

Rotting Christ
Em termos musicais, "Rituals" mostra o mesmo esoterismo cultural de seu antecessor, apenas mais bem pensado. As músicas ganharam um refinamento a mais, estão com arranjos mais bem esmerados, tudo em seus devidos lugares. Mas não chegará a deixar os fãs mais antigos da banda decepcionados de forma alguma. Ainda mais que existem algumas participações especiais ótimas: George Zacharopoulos (Magus Wampyr Daoloth, do NECROMANTIA, e ex-ROTTING CHRIST e THOU ART LORD) aparece nos vocais em "In Nomine Dei Nostri"; Danai Katsameni (do Teatro Nacional Helênico) nos vocais adicionais em "Ἐλθὲ κύριε (Elthe Kyrie)", Vorph (guitarrista e vocalista do SAMAEL) nos vocais adicionais em "Les Litanies de Satan (Les Fleurs du Mal)", Nick Holmes (vocalista do PARADISE LOST e do BLOODBATH) entra com vocais adicionais em "For a Voice Like Thunder", e Kathir (músico de Singapura que toca no ABYSSAL VORTEX, RUDRA, THE WANDERING ASCETIC e ZUSHAKON) aparece nos vocais adicionais em "देवदेवं (Devadevam)". Cada um deles dando um belo toque pessoal a cada uma delas.

As 10 músicas se mostram um equilíbrio muito grande no quesito "composição", logo, preparem-se para mergulhar fundo no abismo transcendental e esotérico que é "Rituals".

In Nomine Dei Nostri - O equilíbrio entre momentos rápidos e agressivos com outros mais grandiosos e sinistros (onde os teclados e corais se destacam). Mas se preparem, pois as guitarras da banda estão excelentes, e o solo ótimo.

זה נגמר (Ze Nigmar) - Esta uma das três faixas que foram liberadas para divulgar o CD. O clima regional de Israel transpira nesta canção, mostrando o lado mais transcendental climático da essência musical do grupo. É cadenciada, azeda e bem conduzida pela bateria compassada de Themis.

Ἐλθὲ κύριε (Elthe Kyrie) - Outra faixa liberada para a audição (na realidade, a primeira delas), mostrando uma bela participação de vocais femininos, com um andamento intenso e bruto, mas com momentos mais atmosféricos, lembrando um pouco a faixa-título do CD anterior, apenas um pouco mais polida. Os vocais de Sakis estão ótimos, assim como os solos de George. Uma das melhores do CD.

Les Litanies de Satan (Les Fleurs du Mal) - Uma canção que transpira aquele clima mais mórbido e sinistro da música do ROTTING CHRIST. Os riffs são bem fortes, assim como os corais e alguns vocais em tons diferentes do que estamos acostumados.

Ἄπαγε Σατανά (Apage Satana) - Se assemelha bastante a um ritual pagão antigo na sonoridade, e que ganha alguns momentos de guitarra mais ao final. É bem soturna e introspectiva, mas alguns fãs terão dificuldade de digerí-la.

Του θάνατου (Tou Thanatou) - A banda volta ao formato mais agressivo que lhe é tão costumeiro, mesmo introduzindo algumas melodias bem sinistras e corais quase gregorianos. 

For a Voice Like Thunder - Cadenciada, azeda e pesada, é outro grande momento do CD. Os vocais mais densos e o trabalho não tão veloz deram uma valorizada na canção.

Konx om Pax - Aqui, o lado que se assemelha a um ritual se equilibra muito bem com a rapidez moderada do quarteto. Mais uma vez vocais gregorianos e arranjos de teclados dão um toque denso e soturno à canção, mas os riffs abrasivos e vocais rasgados de Sakis são ótimos.

देवदेवं (Devadevam) - Sim, essas letras são derivadas do sânscrito. Novamente o mesmo feeling esotérico mixado ao lado musical obscuro do grupo está presente. 

The Four Horsemen - Outra bem obscura, rebuscando um feeling intenso e introspectivo. É algo óbvio, já que a letra lida com uma passagem apocalíptica, como o título deixa claro. Os corais e a voz de Sakis se encaixam muito bem, e o andamento é guiado muito bem pelo trabalho de Themis. Mas as guitarras dão um show na aclimatação. E é uma versão para uma música do APHRODITE'S CHILD, uma antiga banda grega de Rock Progressivo.

A verdade é que "Rituals" merece o nome que tem, mas ao mesmo tempo a assimilação dele não é muito simples. Mas depois que consegue compreender a obra (umas duas ou três ouvidas carinhosas ajudarão), terá um dos melhores lançamentos do ano em mãos.





Músicas:

1. In Nomine Dei Nostri
2. זה נגמר (Ze Nigmar) 
3. Ἐλθὲ κύριε (Elthe Kyrie) 
4. Les Litanies de Satan (Les Fleurs du Mal) 
5. Ἄπαγε Σατανά (Apage Satana) 
6. Του θάνατου (Tou Thanatou) 
7. For a Voice Like Thunder 
8. Konx om Pax 
9. देवदेवं (Devadevam) 
10. The Four Horsemen


Banda:

Sakis Tolis - Guitarras, vocais, baixo
George Emmanuel - Guitarra solo
Themis Tolis - Bateria


Contatos:

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário.
Liberaremos assim que for analisado.

OM SHANTI!

Comentário(s):