30 de jul de 2015

AirTrain – AirTrain (CD)

2015 – MS Metal Records – Nacional
Nota 8,0/10,0

Texto: Marcos "Big Daddy" Garcia



O mais puro e despretensioso Hard Rock que se possa imaginar é a linha que muitas bandas brasileiras estão fazendo no momento. E o número cresce destas cresce dia após dia, quase que chegando a fazer frente ao número de bandas de Metal extremo (que é uma tradição do Brasil, como já dissemos outras vezes). E um nome muito bom que acaba de surgir por aqui é do quinteto AIRTRAIN, de SP, que acaba de soltar seu primeiro álbum, que leva o nome da banda, pela MS Metal Records.

Imagine uma banda que faz um Hard Rock forte e vigoroso à lá PINK CREAM 69 (ou seja, um híbrido do peso do Metal tradicional com os arranjos do Hard), cheio de ótimas melodias envolventes e músicas bem construídas, e leve toque setentista. Estará chegando bem perto do que este quinteto cria em sua música, que apesar de não ser nada de inovador (e nem precisa ser), tem uma personalidade muito forte. Ou seja: se tiver a impressão que é uma banda de Metal tradicional fazendo Hard Rock, ou uma banda de Hard Rock tocando Metal tradicional, não se preocupem, pois a música do grupo é dessa forma, e é sempre ótima.

Com produção, mixagem e masterização feitas por Tito Falaschi nos estúdios I.M.F (SP), “AirTrain” possui uma boa qualidade sonora. É limpa, fazendo com que consigamos compreender o que o quinteto está tocando. Mas ao mesmo tempo, possui uma dose de peso excelente. E a arte de Quinho Ravelli (capa) e João Duarte (encarte e layout) ficou muito boa.

AirTrain
O AIRTRAIN capricha nos arranjos e consegue criar uma música envolvente, forte e cheia de energia. Mas a música deles é feita com um nível técnico mais sóbrio, que nos permite assimilar quase que instantaneamente o trabalho deles.

Living for a Love – Uma bela música de abertura do disco. Acessível, forte, com ótimas melodias nas guitarras e um refrão envolvente muito bom.

Back to War – Essa possui uma pegada que lembra o IRON MAIDEN em sua fase mais inicial, focada em um bom nível de peso. Mas percebam que a acessibilidade musical está presente, e ouvimos um trabalho de baixo muito bom, além de uns arranjos um pouco mais intrincados nas guitarras.

German Night – Um pouco mais cadenciada que as duas primeiras, mas pesada e com um refrão interessante. E nessa faixa, fica óbvio a força dos vocais da banda.

Road to the Sky – Uma balada pesada, intensa e cheia de força. Uma vez mais, as guitarras se destacam bastante.

Shark Attack – Mais uma vez, o peso do Hard’n’Heavy aparece em uma faixa bem ganchuda e cheia de energia. Os vocais estão bem postados, e tudo nas devidas medidas.

Julianne – Apesar da idéia que o nome possa remeter, esta não é uma balada, mas sim, uma faixa com mais acessibilidade que as outras, bem comercial, e que tende a fazer sucesso no meio, pois é bem elegante e extremamente grudenta.

Rock the Bones – A bateria dá um peso absurdo a esta canção, que é bem acessível, mostrando ótimos backing vocals e a base rítmica se mostra coesa.

Into My Soul – Agora temos uma balada bem mais acessível, elegante e melodiosa, com belos arranjos de guitarras limpas, mas óbvio que há momentos em que o peso aparece, mas sem quebrar o lado mais sentimental da canção.


Apesar de ser uma banda ainda bem jovem (tem apenas 3 anos de fundação), o AIRTRAIN já é um nome muito promissor, e tem futuro. É um diamante que precisa de mais lapidação, mas é um diamante, verdade seja dita.

Quem viver, verá.




Músicas:

01. Living for a Love
02. Back to War
03. German Night
04. Road to the Sky
05. Shark Attack
06. Julianne 
07. Rock the Bones
08. Into My Soul


Banda:

Caio Siriani – Vocais
Julio Machia – Guitarras 
Arthur Santos – Guitarras 
Guilhermee Delmolin – Baixo
Ivan Rehder – Bateria 


Contatos:

MS Metal Agency Brasil (Assessoria de Imprensa)
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário.
Liberaremos assim que for analisado.

OM SHANTI!

Comentário(s):