10 de nov de 2014

Sinaya - Obscure Raids (EP)

Independente
Nota 8,0/10,0

Por Marcos "Big Daddy" Garcia


Uma das maiores vitórias dentro do Metal como um todo foi o momento em que as mulheres deixaram de ser vistas como meros objetos sexuais (as famosas groupies) e assumiram os instrumentos musicais e vocais, mostrando que possuem talento, garra e criatividade, dando um toque diferenciado, e também deixando claro que são tão competentes (às vezes, até mais) que os homens. Basta olhar e ver a Metal Queen Doro, e as musas Angela Gossow e Alissa White-Gluz. No Brasil, temos nomes como NERVOSA, Mirella e Flávia do HELLARISE, e para se juntar ao time, chegam as novatas do SINAYA, de São Paulo, que chega com "Obscure Raids", seu EP de estréia.

O quinteto destila um Death Metal bem feito e na escola do DISMEMBER e DEATH, com alguns inserts da técnica e pegada o Thrash Metal, bruto e opressivo, como momentos mais velozes e outros mais cadenciados e pesados. Vocais guturais que seguem a escola de Chuck Schuldiner (e não parecem ser de uma mulher em momento algum), riffs de guitarra muito intensos e brutos (mas com boa técnica), cozinha rítmica com uma pegada bem pesada e que sabe dar diversidade aos andamentos. Em suma: pode até não ser algo que veio para inovar, mas veio para somar e tem valor.

Com produção de Caio Angelotti, percebe-se que a banda tem uma preocupação estética com sua música, buscando ao mesmo tempo ter uma sonoridade bruta e crua, mas que tenha qualidade. Todos os instrumentos tem bons timbres e estão em seus devidos lugares. Poderia ser melhor, óbvio, mas está em bom nível.

Sinaya
Tudo bem, é evidente que toda vez que se referencia este híbrido de Death com Thrash, muitos pensam que é algo batido. E também é claro que o grupo ainda tem muito potencial para mostrar, mas já se percebe que o SINAYA pode (e deve) evoluir mais e mais, tem um caminho a percorrer, mas está na tilha certa. Mas sua música é empolgante, sangra em energia bruta, e essas garotas são donas de personalidades fortes.

Em "Pure Hate", vemos ótimos riffs de guitarra e um trabalho ótimo de baixo e bateria, com boas mudanças de andamento, e sempre mantendo o nível. "Obscure Raids" já é bem mais bruta e opressiva, e um pouco mais direta (mais com momentos mais cadenciados azedos muito bons), se destacando os ótimos vocais. E "Legion of Demons" tem aquele trabalho de guitarra à lá Floridian Death Metal que nos pega pelos ouvidos, com boas estruturas harmônicas e mudanaçs de ritmo que mostram a força da base baixo-bateria do grupo.

O SINAYA ainda pode oferecer muito mais, fica evidente, e o caminho é esse mesmo. Só nos resta desejar às garotas boa sorte, pois é uma belíssima promessa.

Em tempo: após a gravação de "Obscure Raids", a formação mudou bastante, com Mylena assumindo os vocais (além de continuar nas guitarras), e as entradas de Renata Petrelli (guitarras e backing vocals), Camila Toledo (baixo) e Dutchi (bateria).






Tracklist:

01. The Ressurection
02. Pure Hate
03. Obscure Raids
04. Legion of Demons


Banda:

Taty Kanazawa - Vocais
Mylena Mônaco - Guitarras, backing vocals
Ya Amaral - Guitarras
Tamyris Leopoldo - Baixo
Isabela Moraes - Bateria


Contatos:

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário.
Liberaremos assim que for analisado.

OM SHANTI!

Comentário(s):