4 de abr de 2017

MYSTERIIS - About the Christian Despair (álbum)


1999
Independente
Nacional

Tracklist:

1. Ave Mysteriis (Baphomet Signs)
2. A Song for Anu
3. Feeling the Ancient Hordes of the Abyss
4. Blasphemy Calls
5. The Valley of Triumphant
6 Nocturnal Celebration
7. Diabolical Cosmos Dimensions
8. Sobre o Desespero Cristão (outro)


Banda:


Agares - Vocais
Mantus - Guitarras
Agramon - Baixo
Malphas - Bateria


Contatos:

Site Oficial: 
Twitter: 
Youtube: 
Instagram:
Bandcamp:
Assessoria:

Texto: Marcos “Big Daddy” Garcia


Quando os ecos da Second Wave of Black Metal (SWOBM) soaram no Brasil, ainda nos anos 90, várias bandas surgiram se dedicando ao gênero. Os nomes são muitos, e existe uma vasta documentação histórica retratando a virada do milênio passado para este, o quanto esta época foi rica em bandas e discos dedicados ao Black Metal. Mas poucas bandas do gênero podem igualar ou mesmo sobrepujar o nome do MYSTERIIS, lendário grupo carioca, uma vez que “About the Christian Despair” chacoalhou o underground brasileiro. Tanto o é que bandas de outros gêneros se declararam fãs do trabalho.

Mas o que fez de “About the Christian Despair” um clássico em termos de Metal extremo nacional, e até mesmo um divisor de águas do gênero por aqui?

De um lado, o momento era propício, já que o Black Metal brasileiro vivia nos porões do underground. A maioria das bandas mal chegavam a gravar Demo Tapes, quanto mais um disco inteiro, e as que almejavam isso tinham que passar poucas e boas para conseguirem chegar lá; do outro, o quarteto tinha músicos com grande experiência no cenário, pois nomes como NECROMANCER, ANSCHLUSS, SONGE D’ENFER, IMMUNO AFFINITY e outros constam no currículo deles. Ou seja, eram músicos talentosos e experientes que sabiam bem o que desejam fazer de sua música. Uma combinação que raramente dá errado quando

A banda já havia lançado duas Demo Tapes, que são “Dreaming with dhe Darkness Cold” (1998) e “Nocturnal Celebration” (1999), ambas muito bem recebidas por público e crítica, o que levou a banda a gravar seu primeiro CD por uma extinta gravadora independente. E eis que em Agosto de 1999, “About the Christian Despair” foi lançado.

O primeiro atrativo é realmente a capa, um trabalho ótimo de Sandy Gardner, que atiçou a curiosidade dos fãs nacionais da época. Toda a arte do CD é soturna, com toda aquela aura densa e enegrecida que o estilo pede. Fora isso, as fotos a banda reforçavam o lado negro de sua música.

Na produção, o próprio grupo assumiu a responsabilidade, gravando o CD no Manhattan Studio. Tudo em 24 canais, gravado em marços de 1999, enquanto a mixagem foi feita no Polifonia Studio, em BH, mais uma vez pelo próprio quarteto com a ajuda de Tarso Senra, e no mesmo estúdio foi feita a masterização. O resultado é uma sonoridade simples, direta e sem firulas, mas com um diferencial: bem feita e muito bem acabada. Sim, uma vez que as bandas do Brasil ainda preferiam algo muito mais sujo e cru, nos moldes do que MAYHEM e DARKTHRONE fizeram em seus primeiros discos, o MYSTERIIS optou por algo que fosse sujo e cru, mas sem que isso fizesse com que suas canções soassem um emaranhado de arranjos musicais desconexos entre si. Não, em “About the Christian Despair”, mesmo sendo bem artesanal e orgânico, houve uma preocupação estética em soar o mais compreensível possível.

Musicalmente, o trabalho do MYSTERIIS era focado em um Back Metal cru e soturno, adornado com passagens de teclados (participação especial de Nilo Rafael), que tornava tudo ainda mais atmosférico. Óbvio que o quarteto nunca optou por algo extremamente técnico, musicalmente falando, e justamente a simplicidade que faz com que as músicas do CD soem como hinos do gênero, e que são atuais até os dias de hoje (um tema que eu e o amigo Leandro Vianna, do site irmão A Música Continua a Mesma, falávamos esses dias). E sim, é fato: tanto em 1999 como hoje, “About Christian Despair” não perdeu sua força ou charme sedutor.

Músicas como a cadenciada e soturna “Ave Mysteriis (Baphomet Signs)” (cheia de arranjos ótimos de teclados e guitarras), a clássica “A Song For Anu” (com suas linhas melódicas simples e diretas, mas com uma exibição perfeita de como riffs de guitarra e arranjos de teclados se mesclavam de forma extremamente sedutora), a cadência azeda e extremamente fúnebre de “Feeling the Ancient Hordes of the Abyss” (o arsenal de riffs não se esgota, mas os vocais estão fenomenais, exibindo timbres rasgados magníficos, e mesmo uivos fúnebres), a agressividade rascante de “Blasphemy Calls” (baixo e bateria criam uma base rítmica sólida e bem feita nessa simplicidade fundamental e preciosa), a envolvente e absolutamente essencial “The Valley of Triumphant” (os teclados criam momentos belos e as mudanças de ritmo são excelentes, mostrando uma banda bem adiante de seu tempo), além da ríspida “Nocturnal Celebration” (um pouco mais veloz em certos momentos, mas em outros, cadenciada e fantasmagórica, com urros rasgados muito bem encaixados e com ótima dicção, além de teclados clássicos criando a atmosfera essencial para a guitarra usar riffs cada vez mais marcantes), e a mais rápida e intensa “Diabolical Cosmos Dimensions”. Em “Sobre o Desespero Cristão (outro)”, temos uma declamação em português sobre uma base de efeitos de teclados muito climática. E para os felizardos que adquiriram a versão em vinil em 2013, existe uma faia extra, “Doomsday Tyranny”.

Em suma: “About the Christian Despair” é um dos primeiros clássicos do Black Metal feito no Brasil. E talvez, o maior de todos, pois foi por meio dele que portas foram abertas para muitas outras bandas daqueles dias.

Por agora, ouvir este disco, seja em CD ou vinil, é uma ótima pedida, já que o grupo já se encontra gravando seu novo disco, a ser lançado ainda em 2017.

AVE MYSTERIIS!

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentário(s):