29 de jan de 2017

ROCK FREEDAY Collection Volume I (Coletânea)


2017
Voice Music
Nacional

Nota: 8,0/10,0

Tracklist:

1. KING BIRD – Break Away
2. BLAZING DOG – Deus Ex Machina
3. BIG MOFFO – Bring Back the Good Times
4. LO HAN – Dance With the Devil
5. BIFE – If
6. SEPTERRA – Nightmare
7. ENDLESS – Black Veil of Madness
8. MAESTRICK – Pescador
9. INHERITANCE – State of Mind
10. CELESTIAL FLAMES – Final Destination
11. NO WAY – Kill for Money
12. MORRIGAM – Corpo Seco
13. BELLA UTOPIA – Dilema do Prisioneiro
14. DUDÉ E A MÁFIA – A Cidade
15. GUS NASCIMENTO – Reconcerto
16. ERVA MATT – Romeu e Julieta
17. ZY3 – 365 Dias


Contatos:

Rock Freeday (Rádio)
TRM Press (Assessoria de Imprensa)


Texto: Marcos “Big Daddy” Garcia


É interessante como o formato coletânea tem voltado a ser amplamente utilizado, mesmo fora do Brasil. Antigamente, elas serviam para as gravadoras terem uma resposta em relação às quais bandas tinham potencial para lançarem discos, e atualmente, visam apresentar diversas bandas para o fã de um determinado grupo. E é um prazer poder ouvir um trabalho tão bom como “Rock Freday Collection Volume I”, coletânea idealizada pela Rádio Rock Freeday, e que nos chega agora.

Neste primeiro volume, temos a prevalência do Hard Rock clássico e do Heavy Metal tradicional, mas também existem representantes do Power Metal, do Prog Metal e mesmo do Thrash/Death Metal. Ou seja, há espaço para todos os gostos e estilos.

Em termos de produção sonora, óbvio que a qualidade sonora muda de uma banda para outra, mas pelo simples motivo que cada uma tem sua própria forma de fazer música, seu próprio jeito de ser, e em nenhum momento, a idéia foi extirpar isso delas. Não, de forma alguma, aqui, imperou o respeito.

E a arte gráfica é mais um trabalho de primeira da J. Duarte Design. A distopia representa a diversidade sonora do cenário nacional, que apesar de tantos problemas (tanto estruturais como econômicos, e muitos causados pelos próprios fãs do Metal por aqui), é fértil. E casou muito bem com a proposta eclética do trabalho que temos em mãos.

Todas as bandas são excelentes, cada uma à sua maneira e com sua personalidade. Mas destacamos o trabalho do KING BIRD com seu Hard’n’Heavy anos que mistura toques dos 70 com a estética dos anos 80 em “Break Away” (belíssimo trabalho, especialmente dos vocais e guitarras, sem desmerecer a cozinha do grupo), o Metal tradicional agressivo e bem feito do BLAZING DOG em “Deus Ex Machina” (vocais de primeira, mais um trabalho muito forte de baixo e bateria), o Rock 70 homogêneo do BIG MOFFO em “Bring Back the Good Times” (com aquele jeitão Bluesy/Rock à lá LED ZEPPELIN, com guitarras ótimas), o lado 70 Bluesy do LO HAN em “Dance With the Devil” (que belíssima cozinha rítmica!), o jeitão Rock mais acessível do BIFE em “If” (que lindas linhas melódicas de fácil assimilação), o Prog Metal/tradicional agressivo do SEPTERRA em “Nightmare” (as linhas vocais são excelentes, e a música bem diversificada, com um refrão apaixonante), o trabalho mais voltado ao Metal tradicional do ENDLESS em “Black Veil of Madness” (com um jeitão de Metal tradicional alemão mixado com peso absurdo, e belos riffs de guitarra), as linhas complexas e belas do Prog Metal do eclético MAESTRICK em “Pescador” (uma canção onde o Rock Progressivo e a força da música regional brasileira dão as mãos, mostrando uma banda sólida como um todo), a força agressiva e melodiosa do Metal tradicional modernoso do INHERITANCE em “State Of Mind” (o contraste entre momentos ríspidos e outros mais melodiosos é excelente, com vocais lindos e guitarras com riffs e solos muito bons), o peso absurdo e voltado ao Power Metal do CELESTIAL FLAMES em “Final Destination” (outra que usa melodias inspiradas na escola alemã, mostrando riffs muito bons), a golfada brutal, violenta e de qualidade do NOWAY em “Kill For Money” (um Death/Thrash agressivo e bem tocado, com baixo e bateria arrasando, embora as guitarras sejam ótimas, e os vocais femininos agressivos são fantásticos), a sujeira do Metal cheio de influências regionais do MORRIGAM em “Corpo Seco” (cheia de toques regionais em meio a um tema brutal e explosivo, sendo outra banda de Death/Thrash Metal que faz parte do movimento “Levante do Metal Nativo”), a agressividade melodiosa do BELLA UTOPIA em “Dilema do Prisioneiro” (mais uma banda com um trabalho bem homogêneo em termos instrumentais), o Rock’n’Roll clássico, melodioso e descompromissado de DUDÉ E A MÁFIA em “A Cidade” (que lindas linhas rítmicas de baixo e bateria, mas a banda como um todo é excelente, nos seduzindo com suas linhas melódicas acessíveis), a força densa e moderna das melodias desencadeadas pelo GUS NASCIMENTO em “Reconcerto” (um Rock forte e com boa dose de energia, e que além de vocais ótimos, ainda temos a participação de Edu Ardanuy, Caco Grandino), e o Hardcore/Rock melodioso do ERVA MATT em “Romeu e Julieta” (percebam como as melodias são levemente agressivas, e o refrão é muito ganchudo) e do ZY3 em “365 Dias” (um pouco mais agressivo que seu colega de estilo, mas com uma energia e pegada tão acessível quanto, com vocais secos de primeira).

17 bandas, cada uma delas com sua própria personalidade, e que esperam todos vocês.

Parabéns a cada banda por seu esforço, a Web Radio Rock Freeday por elaborar e promover este trabalho, à Voice Music por comprar a idéia e bancar a coletânea.

Ouçam cada banda, pois são ótimas!

Comentário(s):