7 de jan de 2017

MICKEY JUNKIES - Since You’ve Been Gone (Álbum)


2016
Nacional


Tracklist:

1. Nothing to Say
2. Something About Destruction
3. Since You’ve Been Gone
4. Use Me (to Move On)
5. Stoned
6. Tryin’ to Resist
7. Sweet Flower
8. Big Bad Wolves
9. Alguma Coisa
10. A Tired Vampire


Banda:



Rodrigo Carneiro - Vocais
Érico Birds - Guitarras
André Satoshi – Baixo, violão
Ricardo Mix - Bateria, percussão


Contatos:



Nota:

Originalidade: 8
Composição: 9
Produção: 7

8/10


Texto: Marcos “Big Daddy” Garcia


Durante a primeira metade dos anos 90, o Rock Alternativo e o Grunge estavam em seu maior momento de sucesso nos EUA, onde ambos os gêneros haviam substituído o Glam Metal e derivados como estilo de sucesso nas rádios e TV. E isso teve reflexo no Brasil, já que por aqui, bandas como PIN UPS, PITBULLS ON CRACK, DE FALLA, MUZARELLAS, GANGRENA GASOSA, OKOTÔ, YO HO DELIC e tantos outros seguiam por esta veia, mas cada um com sua contribuição diferenciada. E desta época vem o quarteto MICKEY JUNKIES, de São Paulo, que lançou o primeiro disco, chamado “Stoned” em 1995, até que o estilo caiu no underground mais uma vez, e o grupo cessou atividades, voltando em 2007. E em 2016, eles lançaram seu segundo disco, a pedrada “Since You’ve Been Gone”, distribuído pela Shinigami Records.

O grupo faz um trabalho sonoro cheio de referências às sonoridades voltadas ao Rock’n’Roll psicodélico e denso do final dos anos 60 e início dos 70, mas com muito Groove e vibração vinda do Blues. Ou seja, sente-se algo que nos remete aos trabalhos de JIMI HENDRIX, BLUE CHEER e mesmo THE CREAM e BLACK SABBATH, mas sempre com uma dose enorme de personalidade. E sim, existe espaço para bandas com um trabalho tão bom assim nos dias de hoje.

Produzido e mixado por Michel Kuaker, a sonoridade do disco é crua e azeda, justamente referenciando o período áureo do Rock alternativo. Mas é esse despojo e sujeira que são essenciais ao trabalho do grupo. Sem isso, sua música soaria sem vida e artificial, e temos justamente o oposto. E a arte, um trabalho com fotos, ficou interessante, ainda mais usando o formato Digipack, que deu um toque de elegância ao lado gráfico.

Em termos de sonoridade, a espontaneidade é o ponto forte do MICKEY JUNKIES, que consegue fundir um vocal bem bluesy e cru com riffs psicodélicos pesados, baixo e bateria mostrando solidez na base e muita técnica, e tudo isso está coeso e inspirado, mostrando que o grupo usa desses aspectos para criar músicas de primeira. Embora o grupo se foque no inglês, existe um trecho em português em “Sweet Flower” e uma canção toda no idioma de nosso país, que é “Alguma Coisa”.

O CD possui dez faixas, todas muito boas, mas não destacar o peso e groove de “Nothing to Say”, a viagem lisérgica provocada pela sedutora “Something About Destruction” (uma aula do baixo em termos técnicos, e nisso, a bateria também mostra sua força e técnica), a totalmente hippie “Since You’ve Been Gone” e seus momentos mais pesados, a sabbathica e introspectiva “Stoned”, aquele Blues/Rock lento e melodioso em que as linhas vocais variam de timbre que encontramos na excelente “Sweet Flower” (como os vocais dão um show de interpretação) e na tribal e quase Pos Punk “Alguma Coisa”, e a beleza Folk Rock de “A Tired Vampire”. Mas isso sem desmerecer as outras canções, que são muito boas.

Ótimo retorno, e esperamos que a banda engrene e nos dê muitas alegrias ainda!

Comentário(s):