21 de jan de 2016

SILVER MAMMOTH - Mindlomania (CD)


2016
Nacional

Nota 9,5/10,0

Texto: Marcos "Big Daddy" Garcia

Destaques: Bewitched, Mindlomania, Liars, Madman Doc, Shining Star, Shock Therapy


Uma dos aspectos mais interessantes do atual revival do Rock anos 60/70 é a quantidade de bandas boas que surgem a cada dia. E no Brasil, digamos de passagem, temos excelentes bandas no estilo. Uma delas é o quarteto SILVER MAMMOTH, de São Paulo. E se eles já haviam feito um trabalho de primeira em "Pride Price", de 2014, esperem para ouvirem "Mindlomania", o novo deles que a dobradinha MS Metal Records/Voice Music colocou no mercado.

Antes de tudo, o estilo deles não mudou em absolutamente nada. Continuamos vendo uma banda com clara influência de monstros como LED ZEPPELIN, DEEP PURPLE e URIAH HEEP, completamente setentista e psicodélico, por vezes até mesmo intimista. Ótimas melodias adornam o trabalho musical do grupo, que evita cair em exageros técnicos. Aqui, a técnica nunca supera a expressão musical melodiosa e envolvente que eles sabem expressar com maestria.

Silver Mammoth
Em termos de sonoridade, é o único ponto em que a modernidade entra em "Mindlomania". A produção de Marcelo Izzo e Rafael Agostino ficou muito boa, mas evitando exageros, para soar mais orgânica e com certo clima "live". E isso acrescenta valor ao trabalho do grupo, que não busca soar como uma banda do passado pela qualidade sonora, mas pela música em si. E a psicodelia da música do quarteto é claramente expressa pela arte, com uma capa ótima, trabalhada em vários tons de cores, fugindo do ponto comum que é o uso de preto e branco, com um encarte de primeira.

Em termos musicais, o quarteto arrasa. Sim, o SILVER MAMMOTH sabe exatamente o que quer de sua música, e como fazer para atingir aquilo que visam. Sem exagerar na técnica, temos uma riqueza nos arranjos de muito bom gosto, aliada a um trabalho de alto nível de cada um dos integrantes. E, além disso, Rafel Agostino ainda dá uma canja nos teclados, Hammond, Moog, Mellotron e piano, acentuando aquele sabor psicodélico/progressivo essencial para as músicas do grupo.

Cada música tem seu próprio valor, sua expressão, logo, é bom sentar e se preparar para ficar grudado.

Bewitched - É uma das faixas de vídeo de divulgação. A psicodelia impera em uma canção pesada e melodiosa, com ótimos vocais e arranjos bem encaixados do velho Hammond. Mas não deixe de reparar a força das guitarras, especialmente no solo.

Mindlomania - Um pouco mais cadenciada e pesada, é um dos grandes momentos do disco. A guitarra dita as normas, com riffs pesado e azedos, mas basta prestarem atenção no trabalho da base rítmica, e os queixos caem. 

The Time Has Come - Misturando crescendos ótimos em meio a uma canção mais introspectiva, que é guiada pelo ótimo trabalho de órgãos, mais uma vez os vocais mostram um trabalho excelente, usando timbres mais macios.

Liars - Um pouco mais acessível e com um jeitão mais Rock'n'Roll, é uma música cheia de uma pegada com boa técnica, além de um refrão bem simples de assimilar. E novamente, os vocais mostram um trabalho de alto nível. Mais um dos grandes momentos do disco.

Madman Doc - Ainda mais Rock'n'Roll que a anterior, vemos alguns toques de Rock Progressivo aqui, em algumas paradas rítmicas. E veja como alguns momentos de piano dão aquele adorno especial, fora baixo e bateria estarem em grande forma.

The Cave, The Hole, The Escape - uma instrumental psicodélica, cheia de um clima progressivo etéreo.

Sadness - Sabem aquele jeitão pesado e cheio de feeling setentista? Pois é aquilo que irão encontrar aqui. Mas ao mesmo tempo, existe uma agressividade bem latente, vinda das guitarras, que apresentam riffs pesados e melodiosos.

Shining Star - Uma bela e introspectiva balada, cheia daquele sentimento Southern/Blues, toda feita em guitarras limpas. É incrível perceber a força dos vocais mais uma vez.

Wild Wolf - Apesar do peso e andamento mais forte, é uma canção bem melodiosa. E se vê que o lado pesado da banda é incrementado por baixo e bateria, que buscam fazer uma base consistente, mas sem complicar demais.

Shock Therapy - A música mais longa do disco. Óbvio que é bem dinâmica, com arranjos esmerados de teclados e guitarras. Existem momentos mais etéreos, outros um pouco mais lentos, mas a qualidade é alta sempre. Os vocais se sobressaem mais uma vez, com a banda caprichando nos arranjos.

O SILVER MAMMOTH chega a um ponto em que não precisa provar nada para quem quer que seja, e ao mesmo tempo, se firma como um dos nomes fortes do estilo no Brasil.




Músicas:

01. Bewitched
02. Mindlomania
03. The Time Has Come
04. Liars
05. Madman Doc
06. The Cave, The Hole, The Escape
07. Sadness
08. Shining Star
09. Wild Wolf
10. Shock Therapy


Banda:

Marcelo Izzo - Vocais
Marcelo Izzo Jr. - Guitarras
Chakal - Baixo 
Vinnie Rabello - Bateria


Contatos:

MS Metal Agency Brasil (Assessoria de Imprensa)

Comentário(s):