22 de abr de 2015

Espera XIII - Unexpected Austral Lights (CD)

Australights Records
Nota 9,5/10,0

Por Marcos "Big Daddy" Garcia



Quando uma banda jovem lança seu primeiro álbum, o número de questionamentos sobre ela é enorme, uma pressão absurda. É preciso ter uma resistência hercúlea em certos momentos, em especial que um erro pode custar bem caro assim, logo no início. Mas em termos de Brasil, cada vez mais bandas jovens andam mostrando a cara e criando seus primeiros CDs com uma maestria de veteranos. E é esse o caso do ESPERA XIII, jovem quinteto de São Paulo, que nos brinda com o recém lançado e excelente “Unexpected Austral Lights”. E que de tão bom, parece fruto de muita experiência.

A banda cria um híbrido entre o Death e o Black Metal. O que os diferencia é que as partes de Black Metal vêm de bandas com toques melódicos fortes, como ROTTING CHRIST e algumas bandas nessa linha, com muito do Death Metal mais trabalhado. Ou seja: eles usam uma fórmula completamente diferente do que estamos acostumados a ouvir por aí, abrindo possibilidades que antes eram um pouco nebulosas ou mesmo desconhecidas. Urros guturais entremeados por um trabalho de guitarras muito bem feitos (riffs excelentes, cheios de momentos limpos perfeitos, e mesmo alguns solos mais melodiosos), cozinha rítmica perfeita no balanço entre peso e técnica, em um trabalho cheio de energia e fascinante, com momentos mais atmosféricos e soturnos ótimos. E se repararem bem, existem inserts de músicas bem atípicas em sua música. É de cair o queixo e encher a boca d’água!

A produção sonora, feita por Renan Brito (guitarrista da banda e também do SPREADING HATE), além de masterização feita por Andy Classen. O resultado é, obviamente, uma sonoridade forte, seca, vigorosa, e pesada, mas com qualidade e clareza sensíveis.

Espera XIII
Podemos dizer que o trabalho do quinteto tende a evoluir muito no futuro, mas o nível em termos de composição aqui é bem elevado. Embora seja uma banda jovem, com muitas adversidades, o ESPERA XIII (Espera é uma das 13 embarcações que compunham a frota com a qual Cabral descobriu o Brasil) mostra-se um titã de persistência, dureza e criatividade. Parece que as dificuldades fizeram a banda compor com ainda mais inspiração.

Nove faixas com peso e brilho bem pessoais, onde se destacam “Unexpected Austral Lights” e sua diversidade de andamentos, com um belo trabalho de vocais e guitarras; a explosiva “Alliance” com sua riqueza de arranjos e muitas mudanças de ritmo; as empolgantes “The Great Dark Spot” (que belas melodias nas guitarras) e “Kaap Die Hoop” (baixo e bateria mostrando uma técnica muito boa), a maravilhosa e mais introspectiva “Dehydration” (alguns arranjos de teclados e guitarras reforçam o clima opressivo da faixa, usando melodias bem obscuras, fora ser a faixa onde os vocais mostram uma ótima diversidade de timbres); e a gigantesca e perfeita “The Giant”, onde a banda mostra um trabalho instrumental que nos assombra, misturando melodias opressivas com um approach mais agressivo e duro, embora o andamento seja mais comportado. Mas não desprezem de forma alguma as outras, pois são igualmente ótimas. E todas podem ser ouvidas (e adquiridas) na forma digital no Bandcamp da banda. Mas deixem de ser sovinas e comprem uma cópia física, pois vale o investimento.

Enfim, o ESPERA XIII veio para se tomar para si o posto de revelação do ano no Brasil. E se já estão nesse nível agora, o que o futuro nos guarda tende a ser brilhante.




Músicas:

01. Unexpected Austral Lights
02. Alliance
03. Leviathan
04. The Great Dark Spot
05. Kaap Die Hoop
06. Black Moon Rising
07. Dehydration 
08. The Giant 
09. End 


Banda:

Rubstein Wilker – Vocais 
Renan Brito – Guitarras, backing vocals
Pietro Bernal – Guitarras 
Edu Ayres – Baixo 
Fernando Henrique – Bateria 


Contatos:

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário.
Liberaremos assim que for analisado.

OM SHANTI!

Comentário(s):