15 de jun de 2014

Resenha: Natural Hate - Delivery Service of Chaos (CD)

Nota 8,0/10,0

Por Marcos "Big Daddy" Garcia


Bem, a Bahia sempre deu ao Metal bons nomes, bandas que lutam contra as adversidades comuns ao nosso país, especialmente quando falamos em recursos financeiros. Mas isso nunca impediu que a terra do Senhor do Bomfim nos desse boas bandas, como o NATURAL HATE, de Caetité (Bahia), que com "Delivery Service of Chaos" chega com seu primeiro testemunho em música gravada.

Eles são adeptos de um Thrash Metal bem intenso e feroz, com inserts de Hardcore aqui e ali, com bom nível de composição, vocais bem explorados, riffs de guitarra que mostram uma banda forte e vigorosa, boa base rítmica, sabendo explorar bem o estilo. Apesar de ser ainda uma banda jovem (formada em 2010, e este trabalho é de 2012, sendo agora relançado).

A produção musical ficou razoável e bem crua, quase algo ao vivo, como muitas Demo Tapes antigas, e mesmo podemos notar que falta uma guitarra base sob os solos, mas lembro que fazer um disco de forma independente demanda dinheiro, e em um país como o nosso, em que a economia oscila e quem paga a conta é o povo, é um ato de coragem. E isso abona qualquer trabalho. Mas mesmo assim, somos capazes de compreender o trabalho do trio, que é muito, muito bom, empolgante e cheio de energia e vida, na mesma veia de bandas conhecidas do Thrash Norte-Americano, como SLAYER, TESTAMENT e ANTHRAX.

Natural Hate
O grupo tem muitos momentos ótimos, mostrando que seu trabalho merece aplausos, como vemos em "Old Norms" (uma faixa bem feroz, com andamento empolgante e bons riffs), e na ganchuda "Delivery Service of Chaos" (o andamento é bem empolgante, mais uma vez com ótimos riffs, só que com bons vocais acompanhando). Em "Obstruction", vemos surgir um trabalho mais bem esmerado de baixo e bateria, uma base bem variada. "Destiny of Life" já possui momentos de puro feeling aflorando em vários momentos, especialmente no refrão (que é muito bom, e reparem bem nas guitarras nesse momento),  e em "Only Way", a banda faz uma canção mais cadenciada, onde a bateria mostra a força de sua técnica em nos bumbos, e o baixo mostra uma técnica muito boa. E "Revolution" é uma canção bem variada, com um andamento sólido e buscando algo mais focado na climática do que na agressividade pura e simples.

Um ótimo nome, e que merece uma gravação melhor na próxima, porque o trabalho musical do grupo é fantástico e bem criativo.



Tracklist:

01. Old Norms  
02. Delivery Service of Chaos  
03. Hate Birthday  
04. Obstruction  
05. Fight and Die  
06. Destiny of Life  
07. Only Way  
08. Sons of Mutilation  
09. Devastation  
10. Revolution


Banda:

Vinícius Toledo - Vocais, guitarras
Felipe Neto - Baixo
Sandino Queiroz - Bateria


Contatos:

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário.
Liberaremos assim que for analisado.

OM SHANTI!

Comentário(s):