20 de ago de 2013

Mahogany Head Granade - Return to the Point of Departure

Independente - Importado
Nota 8,0/10

Por Marcos Garcia

Já viram quando surge um trabalho legal de onde menos esperamos?

Dizemos isso porque existem aquelas vertentes em que pensamos seriamente, por pura força do hábito, "mais um  disco assim?", e quando paramos para ouvir algum trabalho de uma banda nova da linha, é uma grata e agradável surpresa que nos cala a boca. E o trio MAHOGANY HEAD GRANADE, de Dallas, Texas, mostra um trabalho muito bom em seu primeiro disco,  o ótimo 'Return to the Point of Departure'.

Distantes das tendências mais atuais, o trio resgata aquele Hard'n'Heavy com inserts de Progressive Metal, e o mais legal de tudo: é completamente instrumental, com algumas vozes narrativas vez por outra. E está muito longe de ser enfadonho, pois mesmo mostrando um grupo bem técnico, eles se focam em fazer primeiramente uma música agradável e bem feita, ou seja, agradará os fãs de instrumentais bem trabalhados  como aos fãs de música mais comuns. Ótimas bases de guitarra, solos muito bem feitos (mais focados em ótimas melodias e feeling do que em frituras chatas), baixo pesado e com ótima técnica, e bateria bem tanto na marcação rítmica quanto na técnica. A resultante: um discão!

Bem produzido, deixando cada instrumento com seu devido volume e sonoridade característicos, sem deixar de ser limpo e pesado nas medidas certas, vemos que a grande marca do trabalho da banda é a espontaneidade, sem soar algo forçado ou uma guerra de egos, com belos toques de Fusion e Jazz Rock aqui e ali. E um ponto interessante é que a banda preferiu não usar uma guitarra base durante os solos, mas sem soar que ficou um vazio, logo, o trabalho se mostra bastante natural e cheio de energia.

São apenas cinco faixas (sendo quatro ultrapassando os 5 minutos de duração), todas elas com seus próprios méritos: a cativante e pesada 'Return to the Point of Departure' (reparem nos fraseados da guitarra, bem como nos solos bem feitos), a totalmente Fusion 'Trouble for Trouble', as multivariadas 'Vinedresser' (a bateria e baixo dão shows particulares) e 'Etude War Machine' (com alguns toques de Jazz que ficaram ótimos), e a empolgante 'Venetian Bricks'.

Uma ótima revelação, sem sombra de dúvidas!



Tracklist:

01. Return to the Point of Departure
02. Trouble for Trouble
03. Vinedresser
04. Etude War Machine
05. Venetian Bricks


Formação:

Dan Hyer - Guitarras
James Falcon - Baixo
Mike Pritchett - Bateria
 



Contatos:

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário.
Liberaremos assim que for analisado.

OM SHANTI!

Comentário(s):