9 de ago de 2017

NOX SPIRITUS - Kuthullu Surgirá (Álbum)


2016


Nacional

Nota: 8,0/10,0


Tracklist:

1. Música Para o Final do Mundo...
2. Kuthullu Surgirá               
3. Funeral Depressivo           
4. Bastardos              
5. Imperium               
6. Guerreiros Ímpios             
7. Astarte                   
8. Iluminattus Sapere            
9. Funeral Depressivo


Banda:


Nocturnus Animus - Guitarra base, vocais
Nazgull - Guitarras
Laidrac - Bateria


Contatos:

Twitter:
Youtube:
Instagram:
Bandcamp:
Assessoria: http://www.facebook.com/cangacorockcomunicacoes/ (Cangaço Rock Comunicações)


Texto: Marcos “Big Daddy” Garcia


O talento em fazer Metal parece ser algo que o brasileiro carrega em seu DNA, mesmo não sendo este um estilo nativo do país. Em todos os cantos desta nação e em qualquer estilo que busque, eis que existe uma banda boa, com muito talento, te esperando. Não lhes virem as costas, mas o rosto, abracem essas que são tão acessíveis a ti. E uma que merece ser apoiada em seu ótimo trabalho é o NOX SPIRITUS, de Uberlândia (MG). Que o diga o trabalho mais recente do trio, “Kuthulu Surigirá”, que saiu no finalzinho de 2016 (logo, considerem-no um disco de 2017).

A sonoridade do grupo é focada em um Black Metal tradicional com clara influência da escola grega, ou seja, VARATHRON, ROTTING CHRIST e NECROMANTIA são nomes que nos vêm à mente durante a audição do disco. Mas está óbvio aos nossos ouvidos que os andamentos sinistros e a sonoridade mórbida mostram forte personalidade, além de uma energia fascinante e muitas melodias soturnas envolventes. E mesmo ainda não estando em 100% do potencial, o NOX SPIRITUS tem muito a dar ao cenário extremo nacional.

A produção do disco realmente possui algumas falhas, como alguns desajustes entre guitarras e bateria em alguns pontos em “Funeral Depressivo” (parecem desconectadas, com a bateria atravessando o tempo). Mas mesmo assim, o talento do grupo está evidenciado, uma vez que a sonoridade mais crua e artesanal lhes dá peso e agressividade, sem que seja sujo a ponto de não compreendermos o que eles estão tocando.

A capa é bem simples, buscando evidenciar apenas os mitos de H. P. Lovecraft e os deuses antigos de sua obra. Dessa forma, o foco de nossas atenções fica somente na música deles, que é ótima.

Trabalhando bem suas composições e impondo personalidade, percebe-se que o NOX SPIRITUS não é uma banda trivial, não faz chover no molhado, pois os toques mais agressivos de certas passagens mostram a influência de Death Metal. Aos mesmo tempo, é criativo, sedutor e com arranjos muito bons.

Embora “Kuthulu Surgirá” seja bom em cada uma de suas 9 canções, destacam-se a ótima e quebrada “Kuthullu Surgirá” e suas melodias sinistras (que belo trabalho de guitarras a banda possui), o andamento pesado e fúnebre da longa “Funeral Depressivo” (tirando umas derrapadas da bateria, percebe-se que Laidrac tem boa técnica nas viradas e conduções nos bumbos, sem falar nos solos de guitarra bem sinistros), e pegada ganchuda e envolvente de “Bastardos”, a agressividade sombria e vocais insanos de “Imperium” e “Guerreiros Ímpios”, e a força e agressividade abrasiva de “Iluminattus Sapere”.

Se percebe que a banda é excelente enquanto se foca na questão de compor, algo que é muito bom. Acertando a bateria da próxima vez, ninguém vai conseguir segurar o NOX SPIRITUS.


No mais, aproveitem “Kuthulu Surgirá”, que é um disco muito bom.

Comentário(s):