23 de fev de 2017

SANCTUARY - Inception (compilação)


2017
Century Media Records
Importado

Nota: 10,0/10,0


Tracklist:

1. Dream of the Incubus
2. Die for My Sins
3. Soldiers of Steel
4. Death Rider / Third War
5. White Rabbit
6. Ascension to Destiny 
7. Battle Angels
8. I Am Insane
9. Veil of Disguise


Banda


Warrel Dane - Vocais
Lenny Rutledge - Guitarras
Sean Blosl - Guitarras
Jim Sheppard - Baixo
Dave Budbill - Bateria


Contatos:


Texto: Marcos “Big Daddy” Garcia


Existem tesouros no passado que, muitas vezes, estão enterrados sob a poeira do tempo. E nem sempre temos acesso a tais álbuns, EPs, Demo Tapes, que são testemunhas de um tempo brilhante. E por uma enorme sorte nossa, chega em nossas mãos “Inception”, uma compilação de materiais antigos do lendário quinteto SANCTUARY, de Seattle.

Antes de tudo, é preciso dizer que “Inception” não é um disco novo da banda, mas temos em mãos as músicas da sessão de gravações perdidas de 1986. E assim, é aferido a “Inception” o status de prequência de “Refuge Denied”. Sim, estas gravações são originais, mas por falta de informações, não sabemos dizer se seriam de uma Demo Tape (que não é a de 1986, pois essa só possui duas canções), ou as gravações originais de “Refuge Denied”. O que se sabe é que o guitarrista Lenny Rutledge encontrou no segundo andar do celeiro dele, onde fica o estúdio onde gravaram “The Year the Sun Have Died”. 

Com sessões gravadas em março de 1986 no Triad Studios em Redmond, Washington (sessões de onde vieram “Battle Angels” e “Soldiers of Steel”), e no Studio One no White Center entre abril e julho do mesmo ano, a qualidade que Chris “Zeuss” Harris (o mesmo que trabalhou com QUEENSRYCHE) conseguiu ao remixar e remasterizar o material é incrível. Soa forte, pesado, limpo e moderno, mas sem perder a característica de seu tempo. 

E a arte da capa é de Ed Repka, conhecido por seus trabalhos com bandas como HIRAX, MASSACRE, MEGADETH e outros, ela ficou muito boa, dando a clara ligação entre o passado e o presente do quinteto.

O estilo musical do SANCTUARY não necessita de grandes apresentações: uma mistura das melodias bem feitas e da técnica musical do American Metal com o peso e energia da NWOBHM, e mesmo alguns toques de classe vindos de bandas como JUDAS PRIEST. A força dos vocais de Warrel Dane, os riffs e solos caprichados de Lenny Rutledge e Sean Blosl já são lendários, e o peso e técnica da cozinha de Jim Sheppard (baixo) e Dave Budbill (bateria) são ótimos, dando sustento rítmico ao trabalho do quinteto. E isso, meus caros, é coisa para poucos, ainda mais com essa classe.

Com uma banda desse quilate, é difícil aferir melhores momentos. Óbvio que a presença de “Dream of the Incubus” (ritmo forte e variado, além de um trabalho instigante de riffs e solos de primeira), e “I Am Insane” (que mesmo com toda sua classe mostra um leve toque de acessibilidade musical, fora um trabalho fenomenal dos vocais, e baixo e bateria se destacam bastante também). Mas quem pode negar que estas versões (não tão diferentes do que já conhecemos) de “Die for My Sins”, a clássica “Soldiers of Steel” (não tem como não falar das variações de tons dos vocais, algo esplêndido), a dobradinha “Death Rider/Third War”, a ótima versão do quinteto para o velho hino “White Rabbit”, do JEFFERSON AIRPLANE, e a bruta e explosiva “Battle Angels” (como baixo e bateria são especiais no som do grupo, já que a base rítmica é muito bem trabalhada).

No mais, “Inception” é uma ótima aquisição, e pelo que sabemos, sairá no Brasil.

Comprem sem medo!

Comentário(s):