27 de abr de 2016

YEKUN - The Boars Nest (EP)


2016
Independente
Nacional

Nota: 9,0/10,0

Texto: Marcos "Big Daddy" Garcia


Ser criativo dentro do cenário tem sido um desafio para as bandas de Metal nos últimos anos.

Se por um lado ninguém precisa criar um novo gênero dentro do estilo, também não se deve pôr o burro na sombra e achar que tudo que se poderia fazer está feito. Aceitar esta última forma de pensamento é se colocar como um clone de algo já explorado. E ainda bem que algumas bandas continuam buscando novas fronteiras para se expressarem, como é o caso do quinteto paulista YEKUN, que mais uma vez chega com um EP, chamado "The Boars Nest".

A banda continua fazendo um som sujo e agressivo, pesado e denso, mas sempre com qualidade. Não é simples de definir o que eles fazem, sonoramente falando. A agressividade e peso do Thrash Metal estão ali, bem como uma dose imensa do peso e sujeira característica do Stoner (e mesmo os tempos mais lentos), além de melodias bem tocadas aqui e ali. Não, não façam definições, não criem rótulos, mas apenas aceitem que o grupo é uma das bandas mais criativas da cena nacional, com certeza.

Edson Paulino está de parabéns pela produção de "The Boars Nest", já que juntar tantas influências musicais deve ter deixado o coitado de cabelos brancos. E no tocante à sonoridade, ela é crua, despojada de pretensões de ser uma gravação "mainstream", e nisso, brilhante. Sim, os timbres instrumentais são sujos como as sarjetas da Rua Augusta e da Vila Mimosa, mas você consegue entender o que os cinco estão tocando com boa clareza. É cru, mas bem feito.

A arte é, como uma tradição, simples, mostrando a vocação do YEKUN a ser uma banda despojada e espontânea, um trabalho muito legal do vocalista JP Carvalho.

"The Boars Nest" também mostra que o estilo musical do grupo está bem mais cheio, mais coeso e firme que antes. Isso se deve ao fato da experiência de cada um de seus músicos, e da coexistência entre eles em prol de sua música. Não busque nada refinado, nada esteticamente polido ou bonitinho, pois aqui, a agressividade salta aos olhos. E para dar aquele toque a mais de peso, temos a participação de Prika Amaral (guitarrista do NERVOSA) nos vocais em "Slowly".

E é bom não se meterem, pois a cova do javali é bem perigosa aos wimps e posers da vida.

The Last Sound of Silence - O andamento é moderado, com tempos mais comportados, embora existam mudanças ótimas, mostrando o entrosamento de Vlad (bateria) e Gerson (baixo). A atmosfera musical é densa e azeda, mas se percebe que o grupo tem boa qualidade, com vocais usando timbres que vão do grave quase gutural à gritos agudos.

Faith of Serpents - Guitarras limpas precedem uma golfada de riffs sujos e grudentos de André e Bruno, e vocais rascantes de JP. Se ouvirem bem, perceberão que a banda capricha bem nos arranjos. Podemos dizer que em certos momentos, temos o encontro entre o CELTIC FROST com algo do BLACK SABBATH aqui e ali.

Slowly - Aqui, vemos uma faixa um pouco mais elaborada, tanto que os tempos são mais complexos que antes. Mas mesmo assim, ainda é cadenciada e a agressividade é de saltar os olhos, e esses guturais femininos estão ótimos.

The Boars Nest - Mais uma vez, a banda usa de tempos mais lentos para expressar sua agressividade, com baixo e bateria aparecendo com firmeza. Mas veja como as mudanças de ritmo são ótimas, e com vocais urrados de primeira. Inclusive temos alguns toques experimentais muito bons.

É, o YEKUN não é mais promessa, mas uma realidade dos tempos atuais. Se por um lado "The Boars Nest" não é um EP simples de ser assimilado, depois que o compreende, ele se torna deliciosamente inesquecível. E ele pode ser baixado AQUI, de graças para todos, logo, não seja da geração borracha fraca, baixe e curta à vontade, pois é gratuito.

Que venha logo esse bendito primeiro álbum!



Músicas:

1. Peace and Temptation (intro)
2. The Last Sound of Silence
3. Faith of Serpents
4. Slowly (feat. Prika Amaral)
5. The Boars Nest


Banda:


JP Carvalho - Vocais
André Abreu - Guitarras
Bruno Di Turi - Guitarras
Gerson Camera - Baixo
Vlad - Bateria


Contatos:

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário.
Liberaremos assim que for analisado.

OM SHANTI!

Comentário(s):