4 de mai de 2014

Resenha: Cinis - Subterranean Antiquity (CD)

Old Temple Records
Nota 9,0/10

Por Marcos "Big Daddy" Garcia


É incrível ver o quanto alguns países desenvolvem sua cena metálica após longos períodos em que o estilo esteve ausente de suas terras. E alguns países ainda ganham, digamos assim, a "cara" de um estilo. A Polônia se tornou uma Meca para o Metal extremo, surgindo muitas bandas brutais e com relevância para a cena mundial, como VADER, BEHEMOTH e HATE, mas mesmo assim, o underground do país é ótimo, mostrando bandas com trabalhos excelentes e com personalidade bem definida. O CINIS, de Białystok, mostra isso em seu segundo Full Length, o explosivo e bruto "Subterranean Antiquity".

O quinteto faz um Death Metal extremamente intenso, bruto e agressivo, mas com muito boa técnica instrumental, em um estilo bem semelhante aos compatriotas do VADER, diferindo porque o CINIS possui sua própria personalidade e toques que lembram o estilo feito na Flórida, seu jeito de fazer música. Temos uma mistura explosiva de vocais guturais extremos (com intervenções gritadas aqui e ali), uma dupla de guitarras entrosada, com riffs maciços e pesados (e solos insanos, mas como algumas boas melodias surgindo vez por outra), baixo sempre presente e se fazendo notar, e uma bateria técnica e muito pesada. E essa alquimia gera uma música explosiva e intensa, ora extremamente veloz, outras mais refreada, mas sempre de extremo bom gosto.

Produzido pelo próprio quinteto com a ajuda das mãos dos irmãos Wojtek e Slawek Wieslawscy, e gravado separadamente em dois estúdios separadamente (vocais, baixo e guitarras no Home Studio de Marcin "Dracula" Sidz, e a bateria no Hertz Studio), tendo a mixagem e masterização também no Hertz Studio. E para quem já conhece o que os Wieslawscy Brothers são capazes de fazer, sabe bem que o resultando soa bruto, pesado de doer os ouvidos, mas com ótima qualidade. Não há detalhe musical que não seja ouvido no CD. E a arte de Tomasz "Hal" Halicki para a capa e o design como um todo é de um nível muito bom, sabendo aliar simplicidade e funcionalidade, mas dando uma clara idéia do que espera o ouvinte.

Cinis
As composições de "Subterranean Antiquity" mostram que o grupo realmente se esforçou em termos qualitativos, deixando as composições bem acabadas, com arranjos muito esmerados e sem priorizar nenhum instrumento em particular. E isso mostra que o enfoque da banda é na música, logo, o saldo é extremamente positivo.

O disco é bem nivelado, logo, fica meio difícil de destacar uma ou outra faixa, mas nas primeiras audições, "The First Manifesto" (uma faixa com ótimo trabalho de baixo e bateria, formando uma base rítmica diversificada e pesada), a mais cadenciada e trabalhada "Fully Ossified", a empolgante e bruta "Vile Angels" (ótimo trabalho de baixo e guitarras), a abrasiva "Future Imperfect" (ótimos vocais, com uma dicção perfeita), a técnica "Architectural Antiquity Lies Dormant" (as guitarras e o baixo mais uma vez se destacam, mas reparem nas conduções da bateria, em especial no trabalho dos bumbos e caixa), a avassaladora "Index: a. Absurdity", e a destruidora de ouvidos e pescoços "Nothing".

Uma banda promissora, muito boa mesmo, e que realmente tem um ótimo futuro pela frente!



Tracklist:

01. The Edifice Crashes
02. The First Manifesto
03. Fully Ossified
04. Darkness in Waves
05. Vile Angels
06. Snapshot
07. Future Imperfect
08. Architectural Antiquity Lies Dormant
09. Subterranean Process of Rebirth
10. Index: a. Absurdity
11. Nothing


Banda:

Łukasz "Kret" Sikorski - Vocais
Maciej "Iwan" Jakoniuk - Guitarras
Łukasz "Bielem" Bielemuk - Guitarras
Rafał "Terefere" Zera - Baixo
Konrad Zubrzycki - Bateria


Contatos:

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário.
Liberaremos assim que for analisado.

OM SHANTI!

Comentário(s):