Páginas

26 de mai de 2016

IBRIDOMA - December (álbum)


2016
Importado

Nota: 9,5/10,0

Texto: Marcos "Big Daddy" Garcia


Uma das características mais interessantes que vemos no Metal tradicional atual é que muitas bandas estão soando cada vez mais pesadas. E uma banda que não só ganhou peso, mas melhorou absurdamente seu trabalho foi o quinteto italiano IBRIDOMA, que após "Goodbye Nation" de 2014, nos dá a honra de estar mais uma vez nas páginas do Metal Samsara com "December", seu novo disco.

O que o grupo nos trás de diferente desta vez?

Sempre evoluindo musicalmente, mas sempre mantendo suas raízes, o trabalho do quinteto está soando mais pesado que antes, ganhou em termos de agressividade musical e chega a esbarrar no Metal tradicional moderno, aquele mesmo que bandas como JUDAS PRIEST e METAL CHURCH fazem, mas diferindo porque a noção melódica dos italianos é bem clara, construindo sua música com muita energia e certo toque de acessibilidade musical (basta notarem como os refrões grudam em nossos ouvidos).

Bem produzido, a sonoridade de "December" está bem encorpada, com um peso absurdo, mas vindo justamente de uma ótima escolha de timbres instrumentais, que conseguem ter ótima definição, sem deixarem de soar pesados. E isso contribuiu muito para que "December" soasse tão forte e denso, mas sempre com bom gosto.

Ibridoma
A arte é muito bela, um trabalho muito bem feito do artista brasileiro Gustavo Sazes, dando corpo à música do grupo.

Mantendo a linha melódica de sempre, o IBRIDOMA soube criar um disco excelente. Os arranjos são bem feitos e encaixam com maestria, mostrando que o tempo e a experiência de tocarem com nomes como SABATON e QUEENSRYCHE deu uma alavancada muito boa na musicalidade do grupo. E nem falamos nas ótimas participações especiais de dois conhecidos nossos de longa data: Paul "The Beast" Di'Anno em "I'm a Bully" e Blaze Bayley em "Land of Flames".

"December" é caracterizado por um nível elevado em termos de composições, sendo o melhor disco que o quinteto fez até o momento.

Canções como "Sniper" e seu peso avassalador e moderno (apresentando tempos não tão velozes, e um refrão de primeira), o trabalho empolgante das guitarras na moderna "Covered by the Blood" (os solos estão ótimos, no meio da cadência melodiosa e pesada da música), a força introspectiva e melodiosa de "December" (como baixo e bateria estão em grande forma, conduzindo a base rítmica do disco inteiro, mas se destacam bastante aqui), a agressiva e extrema "I'm a Bully" (recheada de riffs modernos e pesado, com excelentes vocalizações de Christian e Paul), o encontro equilibrado de melodia, peso e acessibilidade em "Dead Trees" (que lindo trabalho das guitarras de Marco e Sebastiano, seja na base ou nos solos, recheadas de preciosas melodias), o peso cadenciado evidente em "Land of Flames" (mais uma vez, o dueto entre Blaze e Christian é excelente e se destacam bastante), a totalmente acessível e bem feita "I Don't Like" (mas com muitos momentos mais pesados, onde Leonaro e Alessandro mostram o quanto a cozinha rítmica contribui para a musicalidade do quinteto), e a cheia de energia e grudenta "Change Me" (que tem peso bem evidente, mas aquele toque mais acessível que víamos em bandas da NWOBHM como IRON MAIDEN em seus momentos mais comerciais) podem ser ditas como as melhores, embora o nível do disco como um todo seja excelente.

Um disco ótimo, que mostra o IBRIDOMA mais maduro e pronto para grandes desafios.

Ouçam sem nenhuma moderação!



Músicas:

1. Sniper
2. Covered by the Blood
3. December
4. Chemtrails
5. I'm a Bully
6. Dead Trees
7. Come with Me
8. Land of Flames
9. I Don't Like
10. Change Me


Banda:

Christian Bartolacci - Vocais
Marco Vitali - Guitarras
Sebastiano Ciccalè - Guitarras
Leonardo Ciccarelli - Baixo
Alessandro Morroni - Bateria


Contatos:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário.
Liberaremos assim que for analisado.

OM SHANTI!